Parole, parole (tradução)

Original


Kid Abelha

Compositor: G. Del Rey / G. Ferrio / L. Chiosso

Querida, o que me acontece esta noite, te olho e é
como a primeira vez.
Como tu és, como tu és, como tu és.
Não queria falar.
Como tu és.
Mas tu és a frase de amor começada e nunca
terminada.
Não mudas nunca, não mudas nunca, não mudas nunca.
Tu és o meu ontem, o meu hoje.
Mesmo nunca.
E o meu sempre, inquietação.
Agora tu podes tentar, chama-me
tormento, vai, já que aí estás.
Tu és como o vento que traz os violinos e as rosas.
Balinhas, não as quero mais.
As vezes não te entendo.
As rosas e os violinos, esta noite conta
pra outra.
Violinos e rosas, os posso ouvir
quando quero, se quero.
Quando é o momento e depois veremos.
Uma palavra ainda.
Palavras, palavras, palavras.
Te peço.
Palavras, palavras, palavras.
Eu te juro.
Palavras, palavras,
palavras, palavras, palavras, somente palavras, palavras entre
nós.
Eis o meu destino, falar-te, falar-te como a
primeira vez.
Como tu és, como tu és, como tu és.
Não, não dizer nada, temos a noite que fala.
Como tu és.
A romântica noite.
Não mudas nunca, não mudas nunca, não mudas nunca.
Tu és o meu sonho proibido.
Mesmo nunca.
É verdade, esperança.
Ninguém mais te pode parar, chama-me paixão, vai,
nunca se sabe.
Se apaga nos teus olhos a lua e começam a cantar os
grilos.
Balinhas, não as quero mais.
Se tu não existisses seria preciso inventar-te.
A lua e os grilos normalmente me mantêm
acordada, enquanto eu quero dormir e sonhar
o homem que as vezes há em ti,

©2003- 2018 lyrics.com.br · Aviso Legal · Política de Privacidade · Fale Conosco desenvolvido por Studio Sol Comunicação Digital